sábado, 3 de março de 2012

Entrevistas - Literatura Fantástica: Nana B Poetisa


A terceira entrevista da série de entrevistas que fiz com nomes da Literatura Fantástica Nacional é com a escritora e poetisa, Nana B Poetisa. Em breve mais entrevistas...


Para você como e quando aconteceu esse "boom" da literatura fantástica?

Bem, como todos sabem a autora J.K. Rowling criou uma saga que conquistou todo o mundo em meados dos anos 90. Quem não leu pelo menos um dos oito livros de Harry Potter, o bruxinho mais fofo e seus amigos? Ela simplesmente vendeu, mais de quinhentos milhões de dólares, apenas com os 3 primeiros exemplares da saga! Depois do sucesso estrondoso de Rowling, todos os olhos jovens passaram a olhar mais atentamente para a literatura de fantasia.



O vampiro ficou mais popular entre adolescentes quando foi romantizado na saga "Crepúsculo". Como você vê isso?

Discordo!

Muito antes de Stephenie Meyer criar seu romance Crepúsculo, com vampiros que brilham. A autora Anne Rice já vinha arrebatando corações adolescentes, com suas Crônicas Vampirescas desde meados dos anos 70. Ela criou vampiros adoravelmente sofridos como, Louis de de Ponte du Lac, ou poderosos e cheios de charme como o adorado e temido Lestat de Lioncourt. Isso, entre tantos outros que arrebatavam e ainda arerebatam os corações adolescentes.Essa autora sim, criou uma legião imensa e fiel de fãs, não apenas de adolescentes, mas de todas as idades, até hoje!

Quais tipos de personagem te atraem mais escrever e por quê?

Depende do texto, depende da inspiração, depende do momento que eu esteja vivendo.

Gosto muito de trabalhar com personagens e com a atmosfera mitológica. Mas, também viajo bastante pelo universo gótico e vampírico, que no meu caso estão invariavelmente voltados para o lado mais romântico. Estes estão presentes em boa parte de meus trabalhos.

Cite seus personagens fantásticos favoritos da literatura ou cinema.

Drácula de Bram Stoker, Frankenstein de Mary Shelley, são alguns dos personagens de autores estrangeiros que gosto, entre milhares. Dos nacionais, posso citar: Isabella e Lúcifer de Nelson Magrini, Kaori de Giulia Moon e Guilherme de André Vianco. Estes sao apenas alguns dos meus favoritos, dentre muitos outros.

Na sua opinião você acha que a literatura fantástica ajuda a formar novos leitores? Por que?

Sim.

Mas não apenas a literatura fantástica, de ficção e terror. Os jovens de hoje leem bem mais do que há uma década atrás. São mais interessados, exigentes e, críticos!

Você já sofreu algum tipo de preconceito por escrever esse gênero literário? Como foi?

Apenas no começo, há alguns anos atrás, com amigos e outras pessoas que não gostavam do gênero.

Qual o perfil dos seus personagens? Eles são mais assustadores ou românticos?

Românticos e sensuais, eu diria.

Agradeço mais uma vez pela oportunidade de falar sobre meu trabalho. Deixo um beijo sangrento para todos os leitores.

Vida longa e próspera, para a Literatura Fantástica nacional!

3 comentários:

Beto Guimarães disse...

Gostei do que li. Apesar de não ser o meu tipo preferido de literatura, sei reconhecer um bom texto do gênero quando o leio. Por outro lado, a autora se mostrou bastante versátil durante o transcorrer da entrevista. Vou procurar ler algum texto dela. Parabéns.

Jéssica Anitelli disse...

Olá. adorei o que ela disse sobre os vampiros. isso serve para mostrar que o tema não está saturado, como vejo as pessoas falando por ai, livros e filmes sobre o assunto existem desde de muito anos antes de Crepúsculo. E como ela disse, a autora Anne Rice já tinha arrebatado corações adolescentes com seus personagens (sou até hoje apaixonada pelo Lestat).
Adorei a entrevista. Parabéns ^^

Nana B. Poetisa disse...

Agradeço ao carinho de ambos. E agradeço a Louise, por ter me dado a oportunidade de falar um pouco sobre mim e meu trabalho.

Beijinhos sombrios, Nana.