sábado, 21 de fevereiro de 2009

O Curioso Caso de Benjamin Button (Resenha)



Uma Lição de Vida.

O Curioso Caso de Benjamin Button, filme baseado no conto homônimo de F. Scott Fitzgerald, estrelado por Brad Pitt e Cate Blanchett , dirigido por David Fincher e com roteiro escrito por Eric Roth and Robin Swicord.

O filme conta a excêntrica história de Benjamin Button, que nasceu peculariamente velho. Nos primeiros minutos de vida ele já tinha sintomas de doenças de um homem de oitenta anos perto do leito de morte em vez de um bebê recém nascido. Abandonado pelo pai ao se dar conta de que sua esposa morreu ao dar a luz ao estranho bebê, ele deixa na soleira de um asilo de velhos seu filho, achando que seria mais bem cuidado lá.

Queenie que trabalhava no asilo acaba adotando o bebê já que ela não podia ter filhos, e começa a cuidar dele como se fosse seu próprio filho.

Benjamim começa a crescer como se fosse um homem velho de oitenta anos, mas mentalmente uma criança. Brinca com carrinhos, tem uma mente curiosa e aprende rápido.

Aos sete anos (embora ele aparente ter pelo menos oitenta) ele conhece a jovem Daisy, uma menina simpática e alegre por quem logo Benjamin desenvolve uma amizade que dura sua vida toda. Nesse meio tempo ele também finalmente conhece seu pai biológico que explica o motivo de tê-lo abandonado e deixa sua fortuna para ele assim como a fábrica de botões dos Buttons.

Curiosamente enquanto todos em sua volta vão ficando velhos e morrendo, Benjamin começa a rejuvenescer, ficando mais forte, ganhando mais cabelo e ficando mais ativo também, o que faz com que ele tome a decisão de sair de casa aos dezessete anos ao acompanhar um capitão de um pequeno barco pesqueiro. Durante esse período ele troca cartões postais com Daisy pelos lugares que ele passou enquanto a menina já adolescente começa a se dedicar ao balé.

Anos se passam quando Benjamin e Daisy se cruzam várias vezes, mas nunca era o momento certo para eles ficarem juntos. Ou ele não estava confortável o bastante para ter um relacionamento romântico com ela ou ela não se sentia tão à vontade com ele para tentar novamente.

Foi após Daisy sofrer um acidente ao ser atropelada por um carro, impedindo-a de dançar novamente que os juntou novamente. Eles vão morar juntos quando estão na casa dos quarenta, mas com uma diferença de nove anos entre eles, embora começasse a parecer menos na medida em que Daisy ficava mais velha e Benjamin mais novo, o tempo começava a separá-los quando Daisy descobre estar grávida deixando Benjamin preocupado, porque pelo andar da carruagem Daisy teria que em breve tomar conta de duas crianças.

Decidido a fazer o que era certo pelo futuro de sua família, Benjamin decide deixar todas as suas economias para Daisy e sua filha, Caroline que já estava com dois anos. Ele explica para a esposa que não poderia suportar ver sua filha crescer sem poder ser um bom pai para ela já que segundo ele, ela precisava de um pai não de um colega de parquinho.

Anos mais tarde, ele volta para conhecer a filha, fazendo Daisy que já era uma senhora idosa ficar surpresa ao vê-lo, notando que ele conseguiu ficar ainda mais jovem. Ele aparentava ser um jovem de quinze anos. Ela o apresenta a sua filha e ao marido e depois concorda que a decisão que ele tomou foi a melhor possível já que ela não conseguiria cuidar de duas crianças ao mesmo tempo. Ela não era forte o bastante para isso.

Mais alguns anos se passam quando Daisy já devia ter um setenta anos e ela é informada por assistentes sociais que acharam Benjamin em um prédio abandonado,aparentando ter não menos que dez ou onze anos e parecendo bastante confuso, quase demente.

Daisy se muda para o asilo onde Benjamin foi criado e é testemunha de quanto ele vai rejuvenescendo enquanto esquece coisas, palavras e rostos até que ele volta a ser um bebê que olha atentamente para ela como se a reconhecesse antes de fechar os olhos e morrer.

Brad Pitt não poderia ter sido uma escolha mais perfeita para o papel de Benjamin. Especialmente porque o ator ainda é bastante jovem e não aparenta ter quarenta e cinco anos embora a maquiagem do filme usada para ele parecer ainda mais jovem tenha ajudado no processo de rejuvenescimento do personagem assim como ajudou no de envelhecimento no começo do filme. Brad Pitt mostra que amadureceu também como ator, mostrando um Benjamin inocente como também maduro no decorrer do filme.

Apesar de ter um roteiro bastante sólido e tocante, o filme peca por tentar explicar alguns dos fatos acontecidos. Como o relógio que anda para trás como se fosse um dos fatores do “relógio biológico” de Benjamin. Ou o Furacão Katrina quando Caroline lia o diário de Benjamin para Daisy em seu leito de morte. Afinal qual a função do furacão no filme?
O filme teve treze indicações ao Oscar incluindo melhor filme, ator para Brad Pitt, diretor, roteiro adaptado, maquiagem, edição, atriz coadjuvante, direção de arte, efeitos visuais entre outros.

Mas deixando alguns aspectos científicos de lado, o filme é como uma fábula trazida para os tempos modernos que nos lembra que cada momento é precioso e que devemos aproveitar cada segundo pois ele não irá durar para sempre como o próprio Benjamin atesta em uma das cenas do filme. O filme também mostra que a vida é definida por oportunidades até as que perdemos. Sempre podemos tirar algo proveitoso de algo vivido. Sempre há uma lição por trás de cada momento de nossa vida. Também nos mostra que nunca é tarde demais para fazer o que queremos. Nunca é tarde demais para ser a pessoa que queremos ser e nunca é tarde demais para viver.

2 comentários:

Dani disse...

Lou, botei um link do seu blog pro meu num questionário, dá uma olhada e responde. :)
Beijão!!

luis Henriq disse...

Gostei muito do conteúdo.... Que Deus Ti lumine.... nunca é tarde demais para viver...